A Stimullus defende que para aumento do vínculo afetivo e do desenvolvimento cognitivo, motor e socio-emocional adequados, atividades significativas, divertidas e muitas brincadeiras com nossos filhos devem ser realizadas. Todos os estímulos que acontecem durante esses momentos podem acontecer durante as atividades de rotina, como o banho, enquanto cozinhamos e até na hora de dormir.

Observamos, após muitos anos de experiência e estudos, que a utilização desses cinco pilares - BRINC - são necessários para nortear o processo de estimulação e desenvolvimento completo da criança.

Conheça o MÉTODO BRINC: Brincar, Relacionar, Interagir, Neurodesenvolvimento e Conduta.

Brincar

É a maneira pela qual a criança aprende. Durante as brincadeiras com ou sem brinquedos, o bebê e a criança conhece a si mesma, ao outro e ao mundo.  Deve ser uma atividade natural e valorizada pelos adultos para que o desenvolvimento social, emocional, motor e cognitivo aconteça adequadamente. A compreensão por nós pais, educadores e cuidadores, que o brincar é uma necessidade básica da criança, é essencial para incentivarmos e participarmos desses momentos prazerosos de aprendizado e desenvolvimento, para a formação de um adulto saudável e seguro. 

Brincar

Relação

A Relação é a ligação afetiva, na qual abordamos a importância do vinculo afetivo entre a criança e seus pais, ou um adulto que seja uma referência de carinho para a criança. Essa relação não é inata, ela se inicia durante a gestação, mas vai sendo construída, principalmente pelo contato afetuoso e acolhedor nos primeiros meses de vida, além de outras manifestações de carinho como o olhar, o colo, as palavras, e o cuidado. Essa ligação é de fundamental importância para a criação da sensação de segurança e proteção para a criança, e terá impacto em sua auto estima, auto confiança, empatia e nas competências sociais que serão desenvolvidas ao longo de sua vida.

cropped-shutterstock_47062510 reduzido

Interação

Interação é como agir reciprocamente, com afeto, respeito e atenção. mesmo que haja uma relação de afeto e amor, nós pais podemos nos relacionar com nossos filhos de maneira mais intensa e oferecer durante as atividades do dia a dia muito conhecimento. A criança só aprende quando significamos suas ações, brincadeiras e sentimentos, quando respondemos o que ela está nos dizendo e mostrando, por isso a aprendizagem só acontece com a pergunta e a resposta, dúvida e confirmação, receio e encorajamento, ou seja pela interação entre nós e eles.

Interação

Neurodesenvolvimento

São as habilidades adquiridas  pelo bebê e pela criança ao longo de seu desenvolvimento, pela maturação neurológica resultado da combinação de fatores fisiológicos e de experiências proporcionadas pelo ambiente. A arquitetura cerebral da criança, formada desde a sua concepção até os seis anos de idades. Nesse período 90% do cérebro da criança e a maior parte das conexões entre os neurônios (sinapses) se formarão. O que oferecemos nesse período a nossos filhos é imprescindível a seu desenvolvimento, e impactará diretamente na aprendizagem, no comportamento e na aprendizagem na vida adulta. Por isso, é importante conhecermos como ocorre, quais são as fases e como podemos agir para potencializar esse processo de desenvolvimento cerebral.

Neurodesenvolvimento

Conduta

A conduta faz parte do processo de estimulação, são os caminhos importantes para que a criança crie referências, se organize internamente e possa se desenvolver de forma plena.  Abordamos a importância e o impacto de limite (o que as crianças podem e o que não podem, até onde podem ir suas escolhas, e o respeito à regras), sobre rotina ( porque ter horário, o que atividades organizadas e definidas podem significar na criação dos filhos), e sobre incentivar a independência e autonomia da criança (identificação do que já consegue realizar sozinha, quais decisões ela pode tomar e como administrar suas frustrações).

Conduta